Quem sou eu

Minha foto
“A humildade não é apenas uma graça ou virtude como outras, ela é a raiz de todas, pois somente com humildade toma-se a atitude correta diante de Deus, e permite-se que Ele faça tudo”.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Uma paixão

Quem me conhece sabe que o melhor presente que poderão me dar é um livro. Sou apaixonada por eles , fascinada pelas palavras e quando encontrei os quadrinhos abaixo comecei a rir, porque eu estava ali representada por aqueles também apaixonados pelos livros.

Será que tem mais alguém que se identifica pelo menos com uma das situações retratadas abaixo? :)





sexta-feira, 23 de agosto de 2013

A grama do vizinho é sempre mais verde.

Encontrei o texto abaixo no site http://www.lagoinha.com e achei  interessante, pois : Quem já não reclamou ?  :) E que possamos a cada dia perder esta mania de reclamar e agradecer bem mais.
Confiram! Vale a pena !
“Este café está horrível!”; “O pão está murcho”; “A comida está fria”; “Meu cabelo é horroroso”; “Meu corpo é feio”; “Ai, que calor”; “Agora está frio demais”; “Por que o meu esposo não é igual ao da minha amiga?”; “Ah! Minha mulher poderia ser como a Fulana”; “Este pastor grita demais, Deus é surdo?”; “Eu não gostei do culto hoje” (aliás, nunca gostou); “Isso só acontece comigo!”; “Ah! Os meus filhos poderiam ser como os do vizinho”; “Odeio meu emprego”; “Odeio minha família”; “Minha vida é uma droga”.

Se algumas dessas frases lhe são familiares, não é mera coincidência. Nada para o reclamador está bom. Nada presta. Tudo tem de ser exatamente do jeito dele, e mesmo assim ainda tem aqueles que sempre enxergam algum defeito ou problema e se põem a reclamar. Neste sentido, é bom salientar que o “reclamão” não é uma pessoa grata. Ele pensa que as pessoas têm obrigação de servi-lo e o pior: servi-lo da maneira que ele acha que é a correta.

Mas por que algumas pessoas agem assim? Por que existem aqueles que reclamam exageradamente? Quem responde a esta pergunta é a psicóloga Rose Mary Soares Cunha: “A criança, por exemplo, aprende por repetição, quando elas ouvem os adultos xingando, passam a xingar também, quando percebem medo nos adultos por determinada coisa sentem medo também e assim aprendem também a reclamar. Somos modelos e não é somente para criança, mesmo depois de adultos continuamos aprendendo por modelo. Precisamos estar atentos para perceber o que estamos aprendendo”, observa Rose Mary que também é pós-graduada em Gestão de Pessoa.

Supervalorizam as coisas dos outros, apenas pela aparência exterior, sem nem mesmo conhecer o contexto das situações que envolvem tais coisas. A casa do vizinho é melhor, a família dos outros é mais abençoada, a igreja vizinha é mais cheia de poder, o pastor da outra igreja é mais ungido, o emprego do colega é mais recompensador, e muitos outros exemplos que não caberiam neste artigo. Na verdade, o que acontece, é que os reclamões criam uma expectativa falsa em relação aos outros. Eles depositam nas pessoas o que eles gostariam de ter ou ser. E como não conseguem, começam a reclamar.

Mude o seu foco Talvez, lendo este artigo, você se reconheceu com as dificuldades aqui apresentadas ou conhece alguém que age assim. Dizem que se conselho fosse bom, ninguém dava, ao contrário, vendia. Mas se você quer mudar suas atitudes ou conhece alguém que precisa urgentemente sair dessa posição incômoda de ser o “reclamão” da turma, é bom ler o conselho da psicóloga Rose Mary. Ela coloca três dicas interessantes que vão ajudar você ou quem se enquadra nessa situação a controlar as reclamações. “Primeiro, observe o que tem influenciado o seu comportamento. Segundo, pare de buscar motivos para reclamar. Terceiro, mude o seu foco para algo que lhe faça bem. Mas, repito, tudo depende da  forma como a pessoa deseja agir, se ela deseja continuar reclamando continuará sendo o ‘reclamão’ de sempre”.
:: Por Ana Paula Costa

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Ambição




Minha grande ambição:
        crescer como pessoa a cada dia.
              Ter um castelo de sentimentos,
                  e a paz como minha joia rara.


                            Cléu

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A vida não termina numa determinada idade, mas recomeça todos os dias.

Três personagens: uma menina, uma adolescente e uma senhora.
Local: praça

A menina estava dentro de seu mundo imaginário, misturava os personagens irreais com os reais,  brincava em fazer um novo fim ou começo para aquelas pessoas,  muitas delas de seu convívio e que ela gostaria que fossem diferentes.

A adolescente estava dentro de seu mundo cheio de interrogações e insatisfações, não criava um mundo imaginário,  mas queria a todo custo mudar o mundo. A insatisfação tinha uma força enorme dentro de si. Alguns a chamavam de revolucionária, rebelde; mas ela simplesmente queria que tudo fosse diferente. Queria subir naquele banco de praça e começar a falar sem medo de ser criticada, simplesmente queria fazer algo.

A senhora estava dentro de seu mundo mais do que real, já tinha criado seus filhos,plantado uma árvore. Todos os filhos criados, as árvores que tinha plantado estavam ainda no solo, talvez algumas já tenham sido cortadas. Estava ali olhando todos passarem: crianças e jovens cheios de sonhos, de vida.

Fechou os olhos e começou a se lembrar da menina que foi: tinha um mundo cheio de fantasia, criava personagens e os misturava com os reais, era cheia de vida e de delicadeza. Seus pais diziam que ela era a flor mais perfumada que um jardim poderia ter.

Depois,  começou a vir a imagem da adolescente que foi: cheia de ideias, que queria mudar o mundo, melhorar o que achava que estava errado.Via-se organizando reuniões na escola, criando,movendo-se.

De repente, abriu os olhos e percebeu que ela fazia parte de uma grande história e tinha esquecido. Esqueceu da menina e da adolescente que foi e se apegou só ao momento em que estava passando. Durante muito tempo esqueceu de seus próprios sonhos, de lutar por aquilo que acreditava. Esqueceu-se de que a vida não termina numa determinada idade, mas recomeça todos os dias.

Abriu um sorriso,  abraçou suas meninas,  levantou seus braços e agradeceu a Deus por aquele momento tão singelo e profundo.

Uma pitada de delicadeza de menina, uma pitada de ousadia de sua adolescência somada com doses de sua maturidade dará um resultado lindo.

Levantou-se, juntamente com suas netas,  atravessou a praça com passos delicados,  decididos e cheios de maturidade.

                                                                            Cléu

terça-feira, 13 de agosto de 2013

É ela !

É ela,
está  chegando.
É ela,
que entra, invade nossas vidas,
mas sempre será bem vinda.
Aquela que nos emociona, que nos faz sonhar,
que nos encanta e que gostaríamos ter criado.
Faz-nos dançar, embalar, pular
Está na mão de alguém,
no dedilhar , no tocar, no viver.
Leva-nos à gratidão,
à adoração, ao sentir-se bem.
Tem a missão de suavizar,
de  impulsionar,
de nos fazer chorar e sorrir.
É ela ! É ela !
Não sabem quem é?
Fechem os olhos e liguem o som !
É ela,
 a Música !

                                          Cléu

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Nos dias difíceis

        Pai contra filho, irmão contra irmão, o amor de muitos esfriará, terremotos, catástrofes, guerras, epidemias.Como não temer a estas más notícias? Declarando: "Mesmo em toda escuridão,ouvindo tantas más notícias, continuo confiando em Teu amor e comigo Tu estás e eu também estou Contigo".

       Não vivemos para simplesmente ficarmos assombrados,assustados e só assistirmos; estamos aqui para no meio dos gemidos levantarmos nossas vozes e dizermos onde está o consolo, o amparo, a alegria que se renova a cada dia.

        Nos dias difíceis existem duas estradas perigosas: ficarmos insensível ao que está acontecendo ou ficarmos  apavorados.

        A insensibilidade nos torna justiceiros; o ficar apavorados nos torna pessoas que realmente não conhecem o poder de Deus.

      Que possamos  nos achegarmos a Deus para ouvi-lo.

      Podemos não entender muitas coisas que acontecem, mas precisamos  confiar, confiar, confiar...

                                                                    Cléu

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

" Laranjada total !" Vale a pena ler !

Quando não consigo ler o jornal no dia, leio-o no outro dia mesmo. Com notícias que já são antigas, mas com crônicas que ainda são atuais. Então, peguei o jornal de ontem, resolvi lê-lo e encontrei a crônica de Paulo Santana, jornalista muito respeitado aqui no Sul.Ao final da leitura poderemos não concordar com tudo aqui colocado, mas é um ótimo texto para reflexão.

Interessantíssima esta declaração que deu a presidente Dilma Rousseff: ela disse que não se deve continuar afirmando que Lula poderá voltar, porque ele nunca foi.
 É raciocínio dela: quem nunca saiu não pode voltar.
 Ora, se ela diz que Lula nunca saiu, então admite que ela é laranja de Lula.
 Ou será que ela quer dizer que Lula e ela são indissociáveis e que, assim, Lula, mesmo com ela na presidência, nunca deixou de governar?
 Se Lula nunca deixou de governar, então Dilma e Lula bolaram um estranho truque: como Lula só podia governar por oito anos, a lei não permite duas reeleições, caracterizar Dilma como sucessora de Lula foi apenas um estratagema, mediante o qual se garantiram pelo menos 12 anos para Lula governar.

Eu não sei se me entendem, se Lula nunca deixou o governo, como anuncia Dilma, então a dupla criou um artifício espetacular: Lula, com isso, passou a poder reeleger-se não por uma vez, limite imposto pela lei, mas duas vezes, governando assim por 16 anos.
Genial.

Ficamos sabendo, pela entrevista de Dilma, que a presidência no Brasil é exercida por poder hermafrodita.
Mal comparando, atualmente temos dois papas: o Francisco e o Bento XVI.
É exatamente igual, assim como Dilma se aconselha com Lula, Francisco se aconselha com Bento XVI.
É uma laranjada total!
E o Giovanni Luigi é laranja do Fernando Carvalho.

Eu, por exemplo, ando há meses tentando conseguir um laranja para me substituir nesta coluna.
Não tenho conseguido achar um laranja, o máximo com que topo são alguns bergamotas.

Já repararam os meus leitores e leitoras que a vida que nos cerca é repleta de laranjas?
Toda atual esposa é laranja da ex-mulher. A Coca-Cola Zero é laranja da Coca normal.
O leite condensado dietético, que tomo, sem exagero, uma lata inteira por dia, marca Hue, que compro na Panvel, é laranja do célebre leite condensado marca Moça.
Todo adoçante é laranja do açúcar. E agora mesmo a Brahma acaba de lançar um laranja para sua cerveja, a Brahma Zero, sem álcool, imaginem!
Cerveja sem álcool é o mesmo que transar de camisinha.

O Viagra é laranja da potência sexual, os óculos são laranjas dos olhos, o ascensorista é laranja do elevador, que funciona sozinho sem ascensorista.
A mulher inflável é um estranho laranja da mulher real, o amante é laranja não permitido do marido, a internet é laranja da biblioteca.
A mudança automática nos carros é laranja da mudança manual. Por sinal, todos os laranjas de todas as coisas e seres são mais modernos e funcionais que os titulares originais.

E, finalmente, graças a Deus, na maioria das minhas ações, meu coração funciona como laranja do meu cérebro.
                                                            Paulo Santana
                                                                     ZERO HORA