Quem sou eu

Minha foto
“A humildade não é apenas uma graça ou virtude como outras, ela é a raiz de todas, pois somente com humildade toma-se a atitude correta diante de Deus, e permite-se que Ele faça tudo”.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O que é luxo para você?

Trecho de uma crônica de Martha Medeiros.

" O que é luxo para você? Já houve quem respondesse: uma bolsa Prada, um vinho Romancée-Conti, a suíte do Hotel Hermitage em Montecarlo. Aí ostentar passou a ser brega e as respostas mudaram: levar meus filhos à escola, almoçar em casa todos os dias, encontrar os amigos uma vez por semana.

Tocante, mas familiar demais. Até que se optou por algo mais contemporâneo: luxo é ter tempo. É o que 10 entre 10 entrevistados respondem hoje.

Quem ousaria discordar? Luxo, de fato, é ter tempo. Ainda mais nestes dias turbulentos, em que se corre de uma lado para o outro vivendo contra o relógio. Estão todos megaocupados, não estão? "

Fonte: Jornal Zero Hora, 29/10/2014

sábado, 25 de outubro de 2014

O antipetismo não existia antes do petismo.

Amanhã votaremos e sei a importância deste fato. Hoje acredito que não é importante sermos partidários ( pois os partidários não conseguem analisar racionalmente, são apaixonados), mas sim estar de fora de todo envolvimento emocional com algum partido.Devemos votar não por um caso pessoal, ou só de uma comunidade, mas sim de uma Nação. Alguns anos atrás o povo estava insatisfeito e colocaram o partido atual no poder, e hoje pelo mesmo motivo as eleições não estão ganhas, porque existe o inconformismo. Li a crônica " A eleição antipetista" de David Coimbra, um jornalista que particularmente respeito muito, acho-o coerente com o que fala, mesmo colocando sua opinião, conserva uma imparcialidade. O texto é longo, mas vale a pena lê-lo para uma reflexão. Boa leitura!

" Esta é a eleição do antipetismo. Vejo amigos petistas magoados, queixando-se do ódio que as pessoas sentem do PT. É verdade, é ódio mesmo, e também é verdade que nada se constrói com ódio. Mas os petistas precisam compreender que o antipetismo não existia antes do petismo. O antipetismo é uma reação.

Os petistas dignos tinham de tentar compreender a natureza da ação que gerou essa reação. Por que o antipetismo tão feroz infiltrou-se em praticamente todas as artérias da sociedade brasileira? Alguns analistas petistas tentam explicar o infortúnio do PT por seus méritos. 

Grosseiramente falando, seria uma reação dos ricos e da classe média, que não admitem ver pobres melhorando de vida. Isso é uma tolice. É como aquele sujeito insuportável, detestado por todos, que justifica sua solidão pela inveja que os outros supostamente sentem da sua beleza, da sua inteligência, da sua competência, seja o que for.

Se os petistas tiverem humildade, reconhecerão vários motivos para essa rejeição, mas um acima de todos: é a atitude religiosa e excludente dos petistas, que acham que o PT detém o monopólio da correção política e do porte das bandeiras de causas populares. 

O petista transformou-se em algo parecido com um gremista, com um colorado, com um torcedor de futebol, que vê no seu clube o sal da terra e no adversário o próprio Mal. Cada vez que um petista abre a Tamanha arrogância até seria perdoável, se correspondesse à realidade. Não corresponde, e os escândalos de corrupção orgânica que saltam como carpas das águas do governo do PT estão aí para comprovar.

 Esse, aliás, é o segundo grande motivo da rejeição ao PT. Lula, com seu gênio político, entendeu que o PT precisava se abrir para governar. Mas aí foi ao extremo. Abriu-se demais, fez concessões demais. E trouxe para junto do PT tudo o que o PT repudiava. O PT fez as alianças mais espúrias da história da política brasileira, e digo que são as mais espúrias não por quem se aliou ao PT, mas pelo PT. Pelo PT ter aceito tais alianças. 

Afinal, os brasileiros esperam que Sarney, Collor, Maluf e Calheiros façam aliança com qualquer um para deter o poder, mas não esperavam que o PT fizesse alianças com Sarney, Collor, Maluf e Calheiros para deter o poder. Foi uma traição. Uma traição, inclusive, aos muitos petistas retos que há.

Agora o PT vive um momento delicado, sentindo o antipetismo pulsante em todo o país. Não sei se isso levará o PT à derrota na eleição, mas sei que este pode ser um momento de aprendizado. Pode ser um momento de engrandecimento. Porque as crises não servem só para fazer sofrer. Servem para fazer crescer."

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A simplicidade da vida está . . .



                 A simplicidade da vida está em viver um dia de cada vez.
                            mas como é difícil neutralizarmos a ansiedade,
                                        mas não é impossível.

                                                Cléu

sábado, 18 de outubro de 2014

Nosso lar


                          Nosso lar tem rede pra descansar,
                                 som de risos fartos
                                        e certeza . . .

                                                 É sempre bom voltar ao lar,
                                                      chegar ao lar,
                                                             aconchegar-se no lar.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Adulto não sabe brincar de ser feliz

Quando somos crianças, adoramos o 
suspense na hora de 
receber presente.

Já, quando adultos, o suspense 
somente piora o presente.

Superfaturamos a imaginação.

Quando criança, valorizamos o gesto. 
Quando crescemos, valorizamos o 
resultado.

Quando criança, qualquer coisa serve. Quando crescemos, 
esperamos demais.

Adulto não sabe brincar de ser feliz.

                            Fabrício Carpinejar

                     Que possamos aprender ! !

domingo, 5 de outubro de 2014

Não temerei


   O texto abaixo é de Kátia Brito,do http://www.lagoinha.com    . Achei-o interessante  e quero compartilhá-lo com você. Leia-o, tenho certeza de que gostarás.

 


Certa vez fui convencida por uma menina de cinco anos a entrar na piscina. Ela queria tanto nadar, mas o lugar era muito fundo. Entrei na água fria com a criança em meus braços. A sua alegria me contagiou e comecei a rir com as nossas brincadeiras. Entretanto, quando me movimentava para a parte mais funda da piscina ela agarrava com muita força o meu pescoço, travava as pernas em minha cintura e tremia de medo. Com muita calma mostrei que não tinha o porquê se preocupar, pois em meus braços ela estaria segura. Logo, a pequena ficou tranquila e aproveitou o momento.

      Recordei-me desse episódio ao meditar no Salmo 56. Davi clama, pede pelo socorro do Senhor, pois os seus inimigos (os filisteus) tramavam, oprimiam e agiam com perversidade para com sua vida. Em vez de sentir medo, recuar ou desesperar-se, o rei recorreu ao único que podia socorrê-lo: Deus. “Em qualquer tempo em que eu temer, confiarei em ti.” (Sl 56.3). Apenas nos braços do Senhor é possível encontrar a força, coragem, fé e esperança que precisamos para prosseguir e manter a nossa caminhada.

    Muitos dos filhos de Deus se comportam como a criança que citei o exemplo no primeiro parágrafo deste texto. Sabem que Deus é grande e poderoso e jamais permitirá a nossa queda (se estamos em obediência e santidade a Ele), porém começam a dar ouvidos ao mal, a olhar as circunstâncias e por essa falta de vigilância, sentem medo e tornam-se presas fáceis.

    A menina no meu colo olhou para a profundidade da piscina e se assustou mesmo vendo o meu tamanho precisou de um tempo para confiar. Entretanto, não podemos agir assim, nossa confiança não deve estar baseada no natural, no que é visível. “Porque andamos por fé, e não por vista.” (2 Co 5.7). Mesmo que você receba uma notícia inesperada e que não seja agradável isso não pode te abalar. “O justo jamais será abalado; para sempre se lembrarão dele. Não temerá más notícias; seu coração está firme, confiante no Senhor.” (Sl 112.6-7).

     Em um primeiro momento a notícia pode não ser boa e termos aquele baque inicial, mas apesar disso, nossos pés estão na rocha (Jesus) e nada, nada que venha  pode nos abalar.  Podemos passar por todo o tipo de aflição, porém, por estarmos com o nosso coração confiante em Jesus, mesmo em lutas e dores, em nosso rosto estará o sorriso, como de uma criança que brinca sem se preocupar com a profundidade.

 ::Kátia Brito