Quem sou eu

Minha foto
“A humildade não é apenas uma graça ou virtude como outras, ela é a raiz de todas, pois somente com humildade toma-se a atitude correta diante de Deus, e permite-se que Ele faça tudo”.

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Quantas histórias atrás de cada janela !



Vou para um jardim
e de lá começo a observar as janelas dos apartamentos.
Quantas histórias atrás de cada janela,
umas parecidas com as nossas, 
outras totalmente diferentes, que nem imaginamos.
Quanta vida, quantos sonhos!


                      Cléu

domingo, 14 de dezembro de 2014

Simplesmente assim



Simplesmente,
     mente simples,
      cheia de ideias que constroem, que edificam,
         que não machucam,
          mente que faz os outros brilharem,
                 mente que não mente.
Simplesmente assim.

                         Cléu

domingo, 30 de novembro de 2014

Atuar em silêncio é a glória de poucos



" Meus pais me disseram que sábios não falam muito
Que ao invés de falácias preferem a eloquência dos atos
Falácia sem freio é virtude pros tolos
Atuar em silêncio é a gloria de poucos. "


               Jonatas Ribeiro

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

. . . que nos desafiem

                                   É precioso
                                          ouvirmos palavras que nos façam mudar,
                                                    que nos movam ,
                                                            que nos levem ao crescimento,
                                                                    que nos desafiem.

                                                                                           Cléu

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Sei.




Sempre acreditei bem mais em amor do que na paixão. O amor traz o equilíbrio sem tirar o encanto e a vida da alma e uma poesia cantada que define bem  é a canção "Sei ", de Nando Reis que embala o amor de Edgar e Laura na novela "Lado a Lado". Nesta época o que mais se falava era sobre a música " Este cara sou eu" de Roberto Carlos.
 Mas, eu me encantava( ainda me encanto) com a seguinte letra.


                                       Sabe... 
Quando a gente tem vontade de encontrar 
A novidade de uma pessoa 
Quando o tempo passa rápido 
Quando você está ao lado dessa pessoa 
Quando dá vontade de ficar nos braços dela
E nunca mais sair…

Sabe... 
Quando a felicidade invade 
Quando pensa na imagem da pessoa 
Quando lembra que seus lábios encontraram 
Outros lábios de uma pessoa 
E o beijo esperado ainda está molhado 
E guardado ali em sua boca 
Que se abre e sorri feliz 
Quando fala o nome daquela pessoa 
Quando quer beijar de novo muitos lábios 
Desejados da sua pessoa 
Quando quer que acabe logo a viagem 
Que levou ela pra longe daqui…

Sabe... 
Quando passa a nuvem brasa 
Ar de coco, sopro do ar que traz essa pessoa 
Quando quer ali deitar, se alimentar 
E entregar seu corpo pra pessoa 
Quando pensa porque não disse a verdade 
É que eu queria que ela estivesse aqui…

Sei… 
Eu sei.

                                                              Nando Reis

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O guerreiro descansou

Este ano, algumas pessoas que fizeram  diferença para a sociedade se foram, e começamos a conhecer realmente o legado que deixaram depois de suas morte. Durante a vida os conhecemos de forma superficial, a mídia algumas vezes mostram estas pessoas, mas, o que dá realmente audiência são escândalos, o bem fica para outros planos. Por isto, nesta postagem, quero compartilhar um artigo que Ivo Nesralla e Fernando Lucchese ( cirurgiões cardiovasculares) escreveram sobre o Dr. Adib Jatene. Não quero idolatrá-lo, mas sim que excelentes atitudes  sejam compartilhadas, conhecidas.
Talvez algum parente ou amigo  já foi salvo por causa  da perseverança deste homem.

" Desde  seu nascimento  em Xapuri, no Acre, filho de um mascate emigrado do Líbano, Jatene foi durante toda a vida um guerreiro incansável. Jatene tinha alma de construtor. Como pesquisador desenvolveu no Brasil equipamentos que permitiram à cirurgia cardíaca brasileira tornar-se independente de importações e assumir a quarta posição no ranking mundial. Como construtor de instituições, as duas maiores da cardiologia brasileira levam a sua marca: o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e o Incor-SP, além disso dirigiu o Hospital do Coração de SP e estimulou a criação do Instituto de Cardiologia do RS. Jatene construiu uma reputação internacional. Em todo o mundo são conhecidas suas técnicas cirúrgicas. A mais notória é a “Cirurgia de Jatene”, uma técnica revolucionária para correção de bebês recém-nascidos com Transposição das Artérias do Coração. Jatene foi o grande construtor da saúde pública brasileira. Como secretário da Saúde de São Paulo, e depois, duas vezes ministro da Saúde, entendeu que em nosso país saúde sem financiamento não existe. Propôs então o imposto do cheque (CPMF) que teria permitido até hoje a cobertura da saúde ideal para nossa população se não tivesse sido desviado para outras finalidades. Jatene foi um construtor de ideias. Sua tese sobre a pobreza é clássica: “Pobre só tem amigo pobre, por isso não consegue romper o ciclo da pobreza.” Outra de suas ideias: “Trabalho não mata, o que mata é a raiva.” Ou ainda: “Quem faz o orçamento do Brasil são as empreiteiras.” Fato hoje amplamente demonstrado em nossos jornais. Jatene costumava dizer: “Que Deus me dê muitos sucessos para manter o entusiasmo e alguns fracassos para me manter humilde.” Nunca vimos Jatene se lamentar. Sua atitude construtiva superava suas ansiedades e decepções. Jatene foi também um construtor de cérebros. Seus filhos profissionais são cirurgiões e cardiologistas proeminentes espalhados pelo Brasil e América do Sul. Além disso, foi um competente construtor de sua família. Seus filhos médicos ocupam posições de destaque por mérito próprio. Adib Jatene foi um guerreiro e um construtor incansável. Nós tivemos o privilégio de conviver com ele."

Fonte: Jornal Zero Hora, 19/11/2014
http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/2014/11/19/artigo-jatene-o-guerreiro-descansou/

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

O suficiente faz a roda girar sozinha.

   
A maturidade tem muitas vantagens, entre elas a de deixarmos de ser tão sentimentais com nosso passado e promovermos um arrastão em tudo o que é excessivo. Não há mais tempo para delongas: uma vez conhecendo melhor a nós mesmos, hora de priorizar a essência – a nossa e a de tudo.

    O que não impede que pessoas mais jovens comecem a se habituar desde cedo a não colecionar inutilidades, como amigos falsos, preconceitos e dramalhões. Hoje, considera-se rico aquele que tem 1 milhão de seguidores no Twitter e curtidas no Face, ou aquele que acredita que um sem-número de sapatos, bolsas e tênis acalmará sua ansiedade, afugentando o vazio. 
    Se temos afeto e dinheiro suficientes para viver bem, com paz, conforto e alegria, para que correr atrás de mais e mais? O excesso pode conspirar contra, nos exigindo um esforço extra para manter a roda girando. O suficiente faz a roda girar sozinha.

                                         Martha Medeiros

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Aprendendo ...


Tenho aprendido que crescemos quando realmente nos alegramos com as vitórias daqueles que nos caluniam.

Tenho aprendido que temos que ter raízes e asas.

Tenho aprendido que os grandes sonhos são aqueles que nos levam ao inimaginável.

Tenho aprendido que perdoar é um remédio que cura.

                                                                                 Cléu

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

A grama do vizinho é sempre mais verde.

Encontrei o texto abaixo no site http://www.lagoinha.com e achei  interessante, pois : 
Quem já não reclamou ?  :) E que possamos a cada dia perder esta mania de reclamar e agradecer bem mais.
Confiram! Vale a pena ! 
“Este café está horrível!”; “O pão está murcho”; “A comida está fria”; “Meu cabelo é horroroso”; “Meu corpo é feio”; “Ai, que calor”; “Agora está frio demais”; “Por que o meu esposo não é igual ao da minha amiga?”; “Ah! Minha mulher poderia ser como a Fulana”; “Este pastor grita demais, Deus é surdo?”; “Eu não gostei do culto hoje” (aliás, nunca gostou); “Isso só acontece comigo!”; “Ah! Os meus filhos poderiam ser como os do vizinho”; “Odeio meu emprego”; “Odeio minha família”; “Minha vida é uma droga”.

Se algumas dessas frases lhe são familiares, não é mera coincidência. Nada para o reclamador está bom. Nada presta. Tudo tem de ser exatamente do jeito dele, e mesmo assim ainda tem aqueles que sempre enxergam algum defeito ou problema e se põem a reclamar. Neste sentido, é bom salientar que o “reclamão” não é uma pessoa grata. Ele pensa que as pessoas têm obrigação de servi-lo e o pior: servi-lo da maneira que ele acha que é a correta.

Mas por que algumas pessoas agem assim? Por que existem aqueles que reclamam exageradamente? Quem responde a esta pergunta é a psicóloga Rose Mary Soares Cunha: “A criança, por exemplo, aprende por repetição, quando elas ouvem os adultos xingando, passam a xingar também, quando percebem medo nos adultos por determinada coisa sentem medo também e assim aprendem também a reclamar. Somos modelos e não é somente para criança, mesmo depois de adultos continuamos aprendendo por modelo. Precisamos estar atentos para perceber o que estamos aprendendo”, observa Rose Mary que também é pós-graduada em Gestão de Pessoa.

Supervalorizam as coisas dos outros, apenas pela aparência exterior, sem nem mesmo conhecer o contexto das situações que envolvem tais coisas. A casa do vizinho é melhor, a família dos outros é mais abençoada, a igreja vizinha é mais cheia de poder, o pastor da outra igreja é mais ungido, o emprego do colega é mais recompensador, e muitos outros exemplos que não caberiam neste artigo. Na verdade, o que acontece, é que os reclamões criam uma expectativa falsa em relação aos outros. Eles depositam nas pessoas o que eles gostariam de ter ou ser. E como não conseguem, começam a reclamar.

Mude o seu foco Talvez, lendo este artigo, você se reconheceu com as dificuldades aqui apresentadas ou conhece alguém que age assim. Dizem que se conselho fosse bom, ninguém dava, ao contrário, vendia. Mas se você quer mudar suas atitudes ou conhece alguém que precisa urgentemente sair dessa posição incômoda de ser o “reclamão” da turma, é bom ler o conselho da psicóloga Rose Mary. Ela coloca três dicas interessantes que vão ajudar você ou quem se enquadra nessa situação a controlar as reclamações. “Primeiro, observe o que tem influenciado o seu comportamento. Segundo, pare de buscar motivos para reclamar. Terceiro, mude o seu foco para algo que lhe faça bem. Mas, repito, tudo depende da  forma como a pessoa deseja agir, se ela deseja continuar reclamando continuará sendo o ‘reclamão’ de sempre”.
:: Por Ana Paula Costa

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O que é luxo para você?

Trecho de uma crônica de Martha Medeiros.

" O que é luxo para você? Já houve quem respondesse: uma bolsa Prada, um vinho Romancée-Conti, a suíte do Hotel Hermitage em Montecarlo. Aí ostentar passou a ser brega e as respostas mudaram: levar meus filhos à escola, almoçar em casa todos os dias, encontrar os amigos uma vez por semana.

Tocante, mas familiar demais. Até que se optou por algo mais contemporâneo: luxo é ter tempo. É o que 10 entre 10 entrevistados respondem hoje.

Quem ousaria discordar? Luxo, de fato, é ter tempo. Ainda mais nestes dias turbulentos, em que se corre de uma lado para o outro vivendo contra o relógio. Estão todos megaocupados, não estão? "

Fonte: Jornal Zero Hora, 29/10/2014

sábado, 25 de outubro de 2014

O antipetismo não existia antes do petismo.

Amanhã votaremos e sei a importância deste fato. Hoje acredito que não é importante sermos partidários ( pois os partidários não conseguem analisar racionalmente, são apaixonados), mas sim estar de fora de todo envolvimento emocional com algum partido.Devemos votar não por um caso pessoal, ou só de uma comunidade, mas sim de uma Nação. Alguns anos atrás o povo estava insatisfeito e colocaram o partido atual no poder, e hoje pelo mesmo motivo as eleições não estão ganhas, porque existe o inconformismo. Li a crônica " A eleição antipetista" de David Coimbra, um jornalista que particularmente respeito muito, acho-o coerente com o que fala, mesmo colocando sua opinião, conserva uma imparcialidade. O texto é longo, mas vale a pena lê-lo para uma reflexão. Boa leitura!

" Esta é a eleição do antipetismo. Vejo amigos petistas magoados, queixando-se do ódio que as pessoas sentem do PT. É verdade, é ódio mesmo, e também é verdade que nada se constrói com ódio. Mas os petistas precisam compreender que o antipetismo não existia antes do petismo. O antipetismo é uma reação.

Os petistas dignos tinham de tentar compreender a natureza da ação que gerou essa reação. Por que o antipetismo tão feroz infiltrou-se em praticamente todas as artérias da sociedade brasileira? Alguns analistas petistas tentam explicar o infortúnio do PT por seus méritos. 

Grosseiramente falando, seria uma reação dos ricos e da classe média, que não admitem ver pobres melhorando de vida. Isso é uma tolice. É como aquele sujeito insuportável, detestado por todos, que justifica sua solidão pela inveja que os outros supostamente sentem da sua beleza, da sua inteligência, da sua competência, seja o que for.

Se os petistas tiverem humildade, reconhecerão vários motivos para essa rejeição, mas um acima de todos: é a atitude religiosa e excludente dos petistas, que acham que o PT detém o monopólio da correção política e do porte das bandeiras de causas populares. 

O petista transformou-se em algo parecido com um gremista, com um colorado, com um torcedor de futebol, que vê no seu clube o sal da terra e no adversário o próprio Mal. Cada vez que um petista abre a Tamanha arrogância até seria perdoável, se correspondesse à realidade. Não corresponde, e os escândalos de corrupção orgânica que saltam como carpas das águas do governo do PT estão aí para comprovar.

 Esse, aliás, é o segundo grande motivo da rejeição ao PT. Lula, com seu gênio político, entendeu que o PT precisava se abrir para governar. Mas aí foi ao extremo. Abriu-se demais, fez concessões demais. E trouxe para junto do PT tudo o que o PT repudiava. O PT fez as alianças mais espúrias da história da política brasileira, e digo que são as mais espúrias não por quem se aliou ao PT, mas pelo PT. Pelo PT ter aceito tais alianças. 

Afinal, os brasileiros esperam que Sarney, Collor, Maluf e Calheiros façam aliança com qualquer um para deter o poder, mas não esperavam que o PT fizesse alianças com Sarney, Collor, Maluf e Calheiros para deter o poder. Foi uma traição. Uma traição, inclusive, aos muitos petistas retos que há.

Agora o PT vive um momento delicado, sentindo o antipetismo pulsante em todo o país. Não sei se isso levará o PT à derrota na eleição, mas sei que este pode ser um momento de aprendizado. Pode ser um momento de engrandecimento. Porque as crises não servem só para fazer sofrer. Servem para fazer crescer."

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A simplicidade da vida está . . .



                 A simplicidade da vida está em viver um dia de cada vez.
                            mas como é difícil neutralizarmos a ansiedade,
                                        mas não é impossível.

                                                Cléu

sábado, 18 de outubro de 2014

Nosso lar


                          Nosso lar tem rede pra descansar,
                                 som de risos fartos
                                        e certeza . . .

                                                 É sempre bom voltar ao lar,
                                                      chegar ao lar,
                                                             aconchegar-se no lar.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Adulto não sabe brincar de ser feliz

Quando somos crianças, adoramos o 
suspense na hora de 
receber presente.

Já, quando adultos, o suspense 
somente piora o presente.

Superfaturamos a imaginação.

Quando criança, valorizamos o gesto. 
Quando crescemos, valorizamos o 
resultado.

Quando criança, qualquer coisa serve. Quando crescemos, 
esperamos demais.

Adulto não sabe brincar de ser feliz.

                            Fabrício Carpinejar

                     Que possamos aprender ! !

domingo, 5 de outubro de 2014

Não temerei


   O texto abaixo é de Kátia Brito,do http://www.lagoinha.com    . Achei-o interessante  e quero compartilhá-lo com você. Leia-o, tenho certeza de que gostarás.

 


Certa vez fui convencida por uma menina de cinco anos a entrar na piscina. Ela queria tanto nadar, mas o lugar era muito fundo. Entrei na água fria com a criança em meus braços. A sua alegria me contagiou e comecei a rir com as nossas brincadeiras. Entretanto, quando me movimentava para a parte mais funda da piscina ela agarrava com muita força o meu pescoço, travava as pernas em minha cintura e tremia de medo. Com muita calma mostrei que não tinha o porquê se preocupar, pois em meus braços ela estaria segura. Logo, a pequena ficou tranquila e aproveitou o momento.

      Recordei-me desse episódio ao meditar no Salmo 56. Davi clama, pede pelo socorro do Senhor, pois os seus inimigos (os filisteus) tramavam, oprimiam e agiam com perversidade para com sua vida. Em vez de sentir medo, recuar ou desesperar-se, o rei recorreu ao único que podia socorrê-lo: Deus. “Em qualquer tempo em que eu temer, confiarei em ti.” (Sl 56.3). Apenas nos braços do Senhor é possível encontrar a força, coragem, fé e esperança que precisamos para prosseguir e manter a nossa caminhada.

    Muitos dos filhos de Deus se comportam como a criança que citei o exemplo no primeiro parágrafo deste texto. Sabem que Deus é grande e poderoso e jamais permitirá a nossa queda (se estamos em obediência e santidade a Ele), porém começam a dar ouvidos ao mal, a olhar as circunstâncias e por essa falta de vigilância, sentem medo e tornam-se presas fáceis.

    A menina no meu colo olhou para a profundidade da piscina e se assustou mesmo vendo o meu tamanho precisou de um tempo para confiar. Entretanto, não podemos agir assim, nossa confiança não deve estar baseada no natural, no que é visível. “Porque andamos por fé, e não por vista.” (2 Co 5.7). Mesmo que você receba uma notícia inesperada e que não seja agradável isso não pode te abalar. “O justo jamais será abalado; para sempre se lembrarão dele. Não temerá más notícias; seu coração está firme, confiante no Senhor.” (Sl 112.6-7).

     Em um primeiro momento a notícia pode não ser boa e termos aquele baque inicial, mas apesar disso, nossos pés estão na rocha (Jesus) e nada, nada que venha  pode nos abalar.  Podemos passar por todo o tipo de aflição, porém, por estarmos com o nosso coração confiante em Jesus, mesmo em lutas e dores, em nosso rosto estará o sorriso, como de uma criança que brinca sem se preocupar com a profundidade.

 ::Kátia Brito

sábado, 27 de setembro de 2014

Tamanho? Não deve importar.


   Quase sempre somos movidos pela quantidade.
   Um cantor sente-se feliz quando uma multidão está a ouvi-lo, se fossem poucos talvez ele não cantasse com tanta entrega.
   Geralmente somos assim! Queremos alcançar números, sermos reconhecidos pelo " nosso mundo" , se isto não acontecer o mundo é injusto, tornamo-nos pessoas que não se realizaram.
   Sejamos bons, excelentes; independente do tamanho da plateia que está na nossa frente.

                                           Cléu

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Grandioso

Assistindo ao filme " Recuperando a esperança"  um dos personagens disse as seguintes palavras:

             " Nada grandioso acontece se você se fecha."

     Se nos fechamos para a vida, para os sentimentos , para o novo, para as soluções, para o inevitável,
                  para a novidade, para o amor, para as amizades, para o sol que brilha, para a mão estendida,
         para o sorriso, para nós,
                NADA,
                     NADA,
                           NADA     de
                                  GRANDIOSO  acontece.


                                                                                        Cléu


Ps. Assistam ao filme, vale a pena!
http://www.filmesonlinegratis.net/assistir-recuperando-a-esperanca-dublado-online.html

sábado, 20 de setembro de 2014

O gélido concreto

Vejo uma menina correndo pela rua,
sorrindo de braços abertos,
como se quisesse abraçar o mundo.
Abrindo a porta de sua casa
ela percebe que existe um horizonte,
que existe algo além das fronteiras,
além daquelas ruas,

A menina se agacha e tira os sapatos,
deseja sentir a terra,
sentir a terra e senti.


A menina desaparece e surge a mulher,
como numa máquina para o futuro.
Ela também se agacha,
tira os sapatos,
deseja sentir a terra,
 sentir a terra,
mas só senti o concreto,
o gélido concreto.

                            Cléu

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Resistir? Para quê?



A nossa vida muitas vezes é cheia de resistências. Resistir ao novo,às mudanças, à vontade dos outros, voltar a ser criança quando uma vozinha nos convida para sentar no chão e brincar, a ir sem saber o que acontecerá. Resistimos a uma plateia,a um questionamento, a uma nova amizade, a uma música, a um livro,  a um reencontro.

Quantas resistências! Muitas são necessárias,  mas precisamos aprender a não resistir a pessoas e coisas que nos farão crescer, que nos levarão além dos nossos medos.

Presenciar pessoas não resistindo a Deus é a cena mais impressionante que podemos assistir,  pessoas que com um gesto, palavra simplesmente se rendem a quem é mais, a quem sabe de todas as coisas e que é infinitamente mais sábio.

Quando não resistimos a Deus aprendemos a nos desprender de nós mesmos e isso muitas vezes é doloroso,  sangra, tira-nos de nossas próprias defesas, arranca-nos do chão.

Mas, para que resistir a quem sabe de todas as coisas? Para que resistir a quem nos conhece sem medida? Para que resistir a quem sabe do nosso deitar e levantar?  Para quê? Respondam-me.

As nossas defesas devem ser para quem nos machuca, maltrata-nos e nos faz cair. Mas a quem nos levanta e nos ama sem medida devemos simplesmente nos despojarmos de nós mesmos e sem medo deixar que Ele nos leve a lugares altos.

                                        Cléu

domingo, 14 de setembro de 2014

Não tenho tempo / Tenho tempo



                                            Não tenho tempo para
                                                    ressentimentos,
                                                          tristezas,
                                                              e desamores.

                                      Tenho tempo para
                                          o perdão,
                                             os sorrisos
                                                e o amor.

                               O tempo corre , por isso,
                              não tenho tempo para
                             sentimentos pequenos,
                             mas sim para os grandiosos.

                                               Cléu
                   
                                   

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Niver

Mais dias,
     mais lembranças,
        mais sorrisos,
           mais abraços,
               mais beijos,
                    mais palavras,
                       mais atitudes,
                          mais esperança,
                              mais gratidão.
           Aniversário é tudo isso.

                          Obrigada, Senhor, por mais um ano de vida.
                                         Meu coração se enche de gratidão!

                                                             Cléu

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Pessoas difíceis de amar.


                      Existem pessoas difíceis de amar, 
                     mas elas nos levam a exercitar
                          a tolerância, a paciência 
                                    e o amor incondicional .

                                                        Cléu

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Lembrem-se !!


A ansiedade sempre nos leva a esquecer do "cultivar", queremos logo o  "colher".

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Não é egoísmo, é simplesmente cuidar da alma.


Aprendi que é muito bom doar-se, fazer o bem
pensar no outro, ajudar e ver um sorriso onde só existia tristeza,
chorar com quem chora ,
adotar o amigo quando ele mais precisa,
fazer tudo por alguém que amamos.
Mas, também tenho aprendido
que é muito bom e necessário
ter só um tempo para si mesmo,
um tempo para não pensar no outro,
mas pensar em fazer coisas por si mesmo.
Coisas simples: ler um bom livro,
escutar uma música, caminhar sentindo o ar
sem se preocupar com o que está acontecendo a sua volta,
ou até mesmo não fazer nada.
Não é egoísmo, é um cuidado consigo mesmo,
para que possa ter energia e fôlego
para voltar a abraçar, a consolar, a cuidar,
a se doar.

Não é egoísmo,
é simplesmente cuidar da alma.

                                                             Cléu

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

" É preciso ter coragem para mudar."

Acontecimentos estranhos,
situações estranhas.
Coincidências? Não acredito!
A maldade extrema,
o ninguém ouviu, ninguém sabe.
Mata-se! E nada acontece!
Rouba-se! E nada acontece!
Mentiras, enganos;
e nada acontece!
Acredito que a esperança
desapareça,
quando nós que somos os agentes da esperança,
também desaparecemos.
Então, que tenhamos esperança!
Termino, com as últimas palavras
de Eduardo Campos:
" É preciso ter coragem para mudar."

                             Cléu

domingo, 10 de agosto de 2014

" Pensamos, logo existimos."

Estamos em um momento em que se não estivermos "ligados" entramos em um marasmo ou num "analfabetismo social e político", onde tudo acontecerá sem termos uma consciência crítica, e sim "achismos" e críticas infundadas. Precisamos, necessitamos, está imprescindível tomarmos ciência do que acontece ao nosso redor. Gosto muito de ler pessoas que sabem o que dizem, que não são precipitadas, que realmente tem uma posição, mas acima de tudo possui a realidade, não importando o lado que esteja e que nos leva a pensar, a refletir. Existem escritores e jornalistas que são assim, um pouco raros mas ainda existem e um deles é David Coimbra, jornalista , cronista do Jornal Zero. Colocarei abaixo alguns fragmentos de suas crônicas , vale a pena lê-los.



" Programas de governo são fáceis de fazer.Não dependem de negociação, de conscientização da sociedade, de planejamento ou estudos aprofundados. Também é fácil destinar dinheiro para uma ou outra causa e delegar a responsabilidade a estados e municípios. O difícil, para um governo, é usar sua legitimidade conquistada nas urnas e liderar a sociedade na construção de um sistema de Estado. É difícil, lento e desgastante. E não dá voto."



" Não sou a favor da palmada educativa. E não sou a favor da lei que proíbe a palmada educativa.

Não sou a favor de expulsar alunos da escola. E não sou a favor da norma que proíbe a expulsão de alunos da escola.
Como é que o Estado vai regular pela lei o que tem de ser regulado pelo bom senso?
Até porque, no caso da palmada, o Estado brasileiro não tem nem meios de punir eventuais infratores. Há 500 mil pessoas presas no Brasil, quase meia Porto Alegre. Nas masmorras medievais de Norte a Sul amontoam-se assassinos, traficantes, assaltantes, sequestradores, tratados de uma forma que seria escandalosa, se eles fossem animais de zoológico. Não há lugar para pais lenientes, mesmo que sua negligência tenha permitido que tigres estraçalhassem os braços de seus filhos.
 Uma lei sem poder de punição não educa. Ao contrário, deseduca, porque vira piada. Torna-se uma lei que ensina a descumprir a lei.
A lei é educativa quando pune, porque a punição é educativa. Diminuir o poder das escolas de punir alunos numa época em que a regra é a leniência, como no caso do pai do menino mutilado pelo tigre, ou a indiferença, como no caso do pai do menino assassinado no RS, diminuir o poder de punição das escolas nesse tempo é mais do que um erro do Estado: é um erro criminoso. As crianças, às vezes, clamam pela punição, porque, ao puni-las, pais e educadores demonstram que zelam por elas. Punição justa não é maldade; é interesse, é cuidado, é atenção. As crianças brasileiras e o povo brasileiro estão carentes de punição, não de crueldade. Carentes de autoridade, não de autoritarismo. "

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Oh, canção que enche a alma!


A canção mais antiga ou mais nova,
aquela que enche o nosso coração.

Canção não tem idade,
canção não tem década,
não importa o estilo,
só tem que tocar lá bem no fundo,
só tem que marcar,
fazer-nos sorrir e chorar.

Oh, canção que enche a alma!

                        Cléu

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Gosto de ouvir




Tanta necessidade de falar, de ser ouvido que esquecemos que temos que aprender a OUVIR, pois assim aprendemos muito mais. Ernest Hemingway, escritor norte-americano, cujo nascimento completa 115 anos,  já dizia:

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente.
               A maioria das pessoas nunca ouvem."


E tu? Gostas ouvir?
 

sábado, 19 de julho de 2014

Podemos crescer com os toques suaves da alma





Sei que muitos defendem que crescemos muito mais com as dificuldades, mas já pedi para crescer também com os toques suaves da alma, da vida; com a singeleza e a simplicidade da vida .

  Cléu

domingo, 13 de julho de 2014

Saudade, segundo Rubem Alves.



           Saudade! Oh, saudade! Já tentei defini-la, mas Rubem Alves foi fantástico nesta tarefa. Quero compartilhar esta definição transformada em poesia. 

                                           A saudade 
                                                     é a nossa
                                                             alma dizendo
                                                                   para onde
                                                                          ela quer
                                                                                 voltar.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Uma nova filosofia

             Uma nova filosofia tem surgido em nossa Terra : o importante é vencer, chegar na reta final, levar a taça. Se por merecer ou não, isso não é importa. 
                               O que vale é vencer!!
Esta filosofia tem entrado em nossas casas, campos e  política.

                                             Cléu

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Nunca é tarde para realizar um sonho !

   A escritora Cora Coralina é um exemplo de que a frase título desta postagem pode ser uma realidade para quem acredita naquilo que deseja.
     Nascida em Goiás, Cora tornou-se doceira para sustentar os quatro filhos depois que o marido, o advogado paulista Cantídio Brêtas, morreu, em 1934. “Mamãe foi uma mulher à frente do seu tempo”, diz a filha caçula, Vicência Brêtas Tahan, autora do livro biográfico Cora Coragem Cora Poesia. “Dona de uma mente aberta, sempre nos passou a lição de coragem e otimismo.” Aos 70 anos, decidiu aprender datilografia para preparar suas poesias e enviá-las aos editores. Cora, que começou a escrever poemas e contos aos 14 anos, cursou apenas até a terceira série do primário. Nos últimos anos de vida, quando sua obra foi reconhecida, participou de conferências, homenagens e programas de televisão, e não perdeu a doçura da alma de escritora e confeiteira.

Um pouco de sua obra!


“Humildade

Senhor, fazei com que eu aceite 
minha pobreza tal como sempre foi. 

Que não sinta o que não tenho. 
Não lamente o que podia ter 
e se perdeu por caminhos errados 
e nunca mais voltou. 

Dai, Senhor, que minha humildade 
seja como a chuva desejada 
caindo mansa, 
longa noite escura 
numa terra sedenta 
e num telhado velho. 

Que eu possa agradecer a Vós, 
minha cama estreita, 
minhas coisinhas pobres, 
minha casa de chão, 
pedras e tábuas remontadas. 
E ter sempre um feixe de lenha 
debaixo do meu fogão de taipa, 
e acender, eu mesma, 
o fogo alegre da minha casa 
na manhã de um novo dia que começa.”





Mãe

Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.

Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições...
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.




Se temos de esperar,
que seja para colher a semente boa
que lançamos hoje no solo da vida.
Se for para semear,
então que seja para produzir
milhões de sorrisos,
de solidariedade e amizade.
Meu epitáfio

Morta... serei árvore,
serei tronco, serei fronde
e minhas raízes
enlaçadas às pedras de meu berço
são as cordas que brotam de uma lira.

Enfeitei de folhas verdes 
a pedra de meu túmulo
num simbolismo
de vida vegetal.

Não morre aquele
que deixou na terra
a melodia de seu cântico
na música de seus versos.